Atrás da cruz

By Elaine Cândida - julho 21, 2016



"Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado; todavia eu me alegrarei no Senhor; exultarei no Deus da minha salvação." (Habacuque 3.17-18)


Sem dúvida que os momentos de paz e gozo de vitória na vida de um cristão são momentos alegres e bons, dos quais todos querem constantemente desfrutar. Porém, há momentos em que nossa fé é provada pelo próprio Deus (daí a necessidade de não murmurarmos nas lutas porque nem todas são perseguições do maligno). E Deus faz isso porque, para nós é fácil louvá-Lo em tempos de bonança e calmaria. Mas o nosso real caráter de salvos e fiéis ao Senhor será revelado em meio às dificuldades, quando nossos campos já não forem tão verdes nem produtivos mas tornarem-se verdadeiros desertos.

Louvarmos a Deus de todo coração e manter-nos fiéis a Ele em meio às lutas e provações da vida é a melhor e maior prova de que, verdadeiramente, o Espírito Santo está habitando em nós. Expressa que realmente amamos e tememos ao Senhor primeiramente pelo que Ele é e significa em nossas vidas, e não somente pelo que Ele pode fazer por nós.

Expressa dependência e confiança no Senhor... Pura e simplesmente fé, sem a qual é impossível agradar a Deus (Hebreus 11.6). A fé que Jesus garantiu que teríamos se nos escondêssemos à Sua sombra, atrás da cruz, e tão somente olhássemos para Ele e O víssemos no alto do madeiro enfrentando os piores pecados e fraquezas que nos pertenciam, a fim de que pudéssemos caminhar neste mundo de cabeça erguida.

  • Share:

You Might Also Like

0 Comentários... Comente também!